Jovem tamanduá e filhote de coruja murucututu são resgatados no JB e tratados
1/11/2006

O Jardim Botânico recebeu nos últimos dias duas importantes visitas: uma jovem tamanduá-mirim fêmea (Tamandua tetradactyla) e um filhote de coruja
identificado preliminarmente como sendo da espécie Murucututu (Pulsatrix koeniswaldiana), nome em referência ao característico som que produzem.

A tamanduá apresentava uma séria micose e ferimentos muito profundos provocados pela coceira com suas afiadas unhas, enquanto que o filhote de
coruja, muito novo e ainda sem penas, caiu do ninho em meio às casas no Caxinguelê e não foi possível reintroduzí-lo de imediato.

Ambos estão sob acompanhamento de veterinários especializados em animais silvestres. Tão logo as feridas da tamanduá forem curadas, ela será solta. Já o filhote de coruja será criado por especialista em falcoaria e, quando aprender a caçar, voltará para o Jardim Botânico.

São mais dois casos bem sucedidos atendidos pelo Projeto de Conservação da Fauna do JBRJ.

 

 

 

 

 

 

 

 

volta à primeira página