Jardim Botânico do Rio de Janeiro, CNPq, Natura e Kew Gardens assinam parceria pelo Reflora
1/11/2011

Foto RefloraEm cerimônia no Herbário do JBRJ, na manhã de terça-feira, 1º de novembro, foi firmada a parceria que garantirá o repatriamento digital das amostras da flora brasileira que estão no herbário do Royal Botanic Gardens, Kew, na Inglaterra.

A parceria entre o JBRJ, CNPq, Natura e Kew Gardens é um passo decisivo para o projeto Reflora/Herbário Virtual, que tem como meta a digitalização e a disponibilização online – para pesquisadores e público de todo o mundo – de dados textuais e imagens de um milhão de amostras botânicas (exsicatas) da flora brasileira nos próximos três anos. A sede desse herbário virtual é o Herbário RB, do Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

A maior parte dessas amostras foi coletada por naturalistas nos séculos XVIII, XIX e início do XX e levada para outros países. A parceria com a Natura possibilitará o repatriamento para o Brasil, em formato digital, desse material sobre a flora brasileira pertencente ao acervo do Royal Botanic Gardens, Kew. Em sua apresentação, a coordenadora do Reflora no JBRJ, pesquisadora Rafaela Campostrini Forzza, afirmou que posteriormente serão firmadas outras parcerias envolvendo o Museu Nacional de História Natural de Paris e, possivelmente, outras instituições. O projeto está permitindo também agilizar a digitalização do acervo do próprio Herbário RB, que tem aproximadamente 500 mil amostras botânicas.

Na cerimônia, o presidente do JBRJ, Liszt Vieira, agradeceu o empenho do CNPq e de todos os parceiros na viabilização do projeto. O secretário de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, Bráulio Dias, ressaltou a importância histórica e taxonômica do projeto e de sua continuação, no sentido de agregar dados de outros herbário no mundo. “O Jardim Botânico do Rio de Janeiro tem grande potencial para estreitar esses laços de cooperação”, afirmou o secretário.

O diretor de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde do CNPq, Paulo Sérgio Beirão, lembrou o empenho de seu antecessor, José Oswaldo Siqueira, para a realização do projeto, e falou sobre um novo sistema adotado pelo CNPq que facilitará a articulação com os diversos parceiros do Reflora. Beirão também agradeceu aos bolsistas do CNPq que estão trabalhando no projeto.

Vitor Fernandes, diretor de Ciência e Tecnologia da empresa Natura, falou da geração de valor a partir dos conhecimentos científicos produzidos pelo projeto, dentro de uma política de sustentabilidade ambiental e garantia de conservação das espécies. A importância de se estudar a flora do Brasil no contexto mundial foi apontada pela representante de Kew, Eimear Nic Lughadha, que reafirmou a disposição de sua instituição de continuar a receber os pesquisadores brasileiros.

O diretor de Pesquisa Científica do JBRJ, Rogério Gribel, agradeceu à equipe do JBRJ envolvida no projeto, especialmente à sua antecessora Marli Pires Morim, à coordenadora Rafaela Forzza e ao assessor Eduardo Dalcin, e mencionou o trabalho das historiadoras da instituição relacionado ao Reflora.

A cerimônia contou também com a presença de representantes da Coppe/UFRJ, do Laboratório Nacional de Computação Científica, da parceira Fundação Flora de Apoio à Botânica, e da empresa Vale do Rio Doce, entre outras instituições, bem como de pesquisadores e outros servidores do JBRJ.

 

 

 

 

 

voltar à primeira página