Trabalhadores da cana e índios Ashaninka na tela
2/9/2009

O filme belga "A verdade do Gato" e o brasileiro "A gente luta mas come fruta" participaram do I Cine Gaia, Festival Internacional de Cinema Ambiental do Jardim Botânico, realizado em 2008. As reprises do festival estão acontecendo sempre aos sábados à tarde, na Sala Multimídia do Centro de Visitantes. Além de proporcionar ao público a chance de ver ou rever as produções, a Retrospectiva serve também para dar uma amostra do que vem por aí, no II Cine Gaia, que acontece em novembro.

Confira a programação:

Sábado, 5 de setembro

filme15h -"A verdade do Gato", de Jeremy Hamers (Bélgica, 2006), 52 minutos.
Carmo do Rio Verde vive do plantio de cana. Uma empresa da região que produz álcool emprega 2000 trabalhadores. Desses, 1200 são temporários, contratados pelo "Gato", que promete abrigo e um bom salário em troca de comissão de 4%. Entre suor e cinzas, o filme revela poeticamente qual tem sido, em grande medida, o preço da riqueza do Brasil.

filme16h - "A gente luta mas come fruta", de Isaac Piyãko (Brasil, 2006), 40 minutos.
O manejo agroflorestal realizado pelos Ashaninka da aldeia APIWTXA no rio Amônia, Acre. No filme eles registram, por um lado, seu trabalho para recuperar os recusos da sua reserva e repovoar rios e matas com espécies nativas, e por outro, sua luta contra os madeireiros que invadem a área em que vivem, na fronteira com o Peru.

 

 

 

 

 

 

volta à primeira página