Simpósio de História Ambiental reúne especialistas do Brasil e dos EUA no Museu do Meio Ambiente
6/3/2013

Evento debate temas de relevância para a pesquisa na área entre 12 e 15 de março, com foco na formulação de uma agenda de pesquisas e intercâmbio acadêmico e cultural entre os dois países.

O Simpósio Diálogo Brasil/Estados Unidos em História Ambiental: Definindo Agendas e Estratégias de Pesquisa em Comum , entre os dias 12 e 15 de março, debaterá temas de interesse comum entre os dois países, como ambientes urbanos, mineração, florestas, biodiversidade, Unidades de Conservação, fronteiras e padrões de ocupação regional, populações, saberes científicos, políticas públicas e construção territorial, populações tradicionais, migrações e sociedades multiculturais, cidades, corpos, culturas, legislação e perspectivas para o ramo da história ambiental.

O encontro está organizado em duas partes: nas manhãs e tardes dos dias 13, 14 e 15 de março, as sessões são direcionadas para pesquisadores da área da história ambiental, incluindo campos afins, e podem ser acompanhadas mediante inscrição prévia. As vagas são limitadas e a programação é gratuita. Nas noites dos dias 12, 13 e 14 de março, as mesas-redondas são abertas ao público e gratuitas.

O simpósio é uma iniciativa do Programa de Pós-graduação em História Social do Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro. O encontro, que tem apoio da CAPES, do Consulado Geral dos Estados Unidos no Rio de Janeiro e do Museu do Meio Ambiente do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, também tem como parceiro o Programa de Pós-graduação em História das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz/FIOCRUZ.

“A ideia é fomentar o diálogo aberto entre pesquisadores de dois grandes territórios nacionais das Américas, espaços históricos dotados de algumas semelhanças e notáveis diferenças em seus processos de formação”, explica José Augusto Pádua, historiador da Universidade Federal do Rio de Janeiro e organizador do evento.

Entre os convidados estrangeiros, especialistas em diferentes aspectos da história ambiental norte-americana e global, está Donald Worster, da Universidade de Kansas, um dos precursores dos estudos em história ambiental nos Estados Unidos.
Inscrições e mais informações no site: http://labhe.historia.ufrj.br/

Programação aberta ao público (sem necessidade de inscrição):

12 de março
19h – Palestra de abertura
Donald Worster - "Facing Limits: From an Age of Abundance to an Age of Vulnerability."
Debatedor: José Augusto Drummond (Universidade de Brasília)
13 de março
18h – Ecologias, Populações e Saberes Científicos: Perspectivas da História Ambiental
John McNeill (Universidade de Georgetown)
Louis Warren (Universidade da Califórnia, Davis)
Linda Nash (Universidade de Washington)
Debatedor: José Augusto Pádua (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

14 de março
18h – Mesa redonda para o grande público: Cidades, Corpos e Culturas: Perspectivas da História Ambiental
Martin Melosi (Universidade de Houston)
Nancy Langston (Universidade de Wisconsin)
Thomas Dunlap (Univeridade de Texas A&M)
Debatedora: Lise Sedrez (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

 

 

 

 

 

 

voltar à primeira página