Projeto de preservação do rio dos macacos e manutenção do arboreto será concluído em julho de 2007

07/08/2006
Convênio celebrado entre a Associação de Amigos do Jardim Botânico do Rio de Janeiro e a Petrobras no valor de cerca de 1,2 milhão garantirá apoio à recuperação ambiental do Aqueduto da Levada e o Rio dos Macacos e melhoria dos espaços de visitação do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. O projeto iniciado em julho de 2006, deverá estar concluído dentro de um ano com resultados que beneficiarão o Estado do Rio de Janeiro como um todo: a comunidade do entorno do Rio dos Macacos mais consciente e um Jardim Botânico com reconhecimento internacional.

Ocupando 20% da bacia do Rio dos Macacos, o Jardim Botânico tem um papel relevante na qualidade ambiental do rio. Para isso, é necessário uma política de apoio à participação de visitantes e moradores e para evitar o assoreamento do rio e a erosão das vias e canteiros, assegurados agora com a celebração do convênio. O projeto visa combinar a melhoria dos serviços de manutenção da área verde, o desenvolvimento da infra-estrutura de drenagem e a implantação de ações educativas. Tudo isso se dará em articulação com instituições e outros órgãos públicos para a gestão da bacia hidrográfica do Rio dos Macacos, entre eles, o Conselho Gestor da Lagoa Rodrigo de Freitas, SERLA, FEEMA, CEDAE e Prefeitura do Rio de Janeiro.

O Jardim Botânico e o Rio dos Macacos têm uma relação harmônica. O rio que nasce no Maciço da Tijuca e percorre 4,6 km de encostas e vale, coleta as águas de chuva, alimenta as cascatas, o chafariz e os lagos, ameniza a paisagem e mantém a umidade necessária às plantas do parque e ainda compõe a bacia contribuinte da Lagoa Rodrigo de Freitas. Em contrapartida, a manutenção do jardim gera 500 m3/mês de resíduos (folhas, galhos, aparas de grama e troncos) e acolhe lixo de mais de 25 mil visitantes/mês.

O projeto prevê objetivos específicos, entre os quais, a implantação de programa de Educação Ambiental, apóio às atividades de manutenção, limpeza e jardinagem, implantação de melhorias no sistema de drenagem, obras de construção dos jardins do aqueduto, implantação de área de lazer para o público e manutenção e limpeza de bancos, pérgulas e pontilhões. Além da importância da revitalização dos espaços de visitação do Jardim Botânico e da qualidade de vida da comunidade do Rio de Janeiro, o projeto terá como resultado final a melhoria da água que chega na Lagoa Rodrigo de Freitas.

 

 

 

 

 

volta à primeira página