Festival Villa-Lobos começa no Jardim com homenagens a Turíbio Santos e João Bosco
8/11/2013

Ele chegou! O Festival Villa-Lobos, um dos eventos musicais mais aguardados da cidade, começa suas apresentações no Jardim Botânico do Rio de Janeiro nesta sexta-feira, dia 8, e vai até 24 de novembro, trazendo concertos, shows, filmes e outras atividades voltadas à celebração da música brasileira.

A programação no Jardim começa com a apresentação da Orquestra Sinfônica Brasileira homenageando Turíbio Santos, Mario Tavares e Edino Krieger. O próprio Turíbio Santos, com seu violão, sobe ao palco do Teatro Tom Jobim com a orquestra. A regência é de Marcos Arakaki. O espetáculo é nesta sexta, 8/11, às 20h30. Ingressos a R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

No sábado, dia 9/11, tem início a programação gratuita, com a apresentação da Orquestra de Sopros da Pró-Arte fazendo uma homenagem a João Bosco, no Gramado do Lago das Tartarugas, às 17h30.

E no domingo, dia 10/11, há atividades musicais para todos os gostos. Às 10h começa a Contação de Histórias, no Gramado do Lago das Tartarugas. O tema será “Apanhei-te Ernestinho - Vida, música e sonhos de Ernesto Nazareth”, com os atores André Gracindo, Jefferson Zelma e Rebeca Queiroz, texto de Gabriel Sant'Anna e direção de Juliana Linhares. A música da "contação" ficará a cargo de Erika Ribeiro (teclado) e Joana Queiroz (direção musical, arranjos e clarinete)

Ainda no domingo, às 11h, tem a série Choro no Jardim, com o Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí, formado por Alexandre Bauab Jr. (violão 7 cordas), Altino Toledo (bandolim), Marcelo Gonçalves (cavaquinho), Everton Rodolfo Campos (flauta transversal) Conrado Bruno de Oliveira (trombone), Rodrigo Moura (percussão) e Elisangela Araujo da Silva (percussão). O show será no Gramado do Lago das Tartarugas e é grátis.

Cine Brasil Música - A programação de cinema do Festival tem duas sessões neste domingo, às 12h e às 18h30, na sala multimídia do Centro de Visitantes. Às 12h será exibido o documentário "Onde a coruja dorme", de Márcia Derraik e Simplício Neto. O personagem é o cantor Bezerra da Silva, que se tornou uma estrela nacional nos anos 80 durante a “explosão do pagode”. O que poucos sabem é que o segredo do sucesso está na sua equipe de compositores: pedreiros, trocadores de ônibus, carteiros, técnicos de refrigeração e biscateiros garimpados nos morros e na Baixada.

A segunda sessão do dia, às 18h30, é "Simonal - Ninguém sabe o duro que dei", de Cláudio
Manoel, Calvito Leal e Micael Langer. O filme mostra a trajetória do cantor Simonal, ex-cabo de exército, que depois de alcançar fama, acabou condenado ao ostracismo. A história é contada por meio de depoimentos de amigos, inimigos e, principalmente, de imagens das exuberantes performances do artista.

Veja a programação completa no site do Festival Villa-Lobos

 

 

 

 

 

 

 

voltar à primeira página