Samyra Crespo toma posse na Presidência do JBRJ
10/5/2013

samyraA cerimônia de posse de Samyra Crespo na presidência do Jardim Botânico do Rio de Janeiro teve lugar no Museu do Meio Ambiente na tarde de segunda-feira, 6 de maio, dia em que sua nomeação foi publicada no Diário Oficial da União.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, apresentou a nova presidenta aos servidores do JBRJ, elogiou Samyra como gestora e disse lamentar perdê-la no MMA. "Retiro do Ministério um dos melhores quadros e passo a ela o comando do Jardim Botânico", disse a ministra.

Samyra Crespo ocupava, até a semana anterior, o cargo de secretária de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental do MMA. Segundo a ministra, os critérios para a escolha da sucessora de Liszt Vieira foram de base científica e socioambiental, além de considerarem a envergadura política de Samyra para a interlocução necessária ao cargo. Izabella expressou reconhecimento pelo trabalho de Liszt e o homenageou com a entrega de uma placa. A ministra apontou que o objetivo principal do Jardim Botânico agora será alcançar excelência técnico-científica, enfatizando o papel da Escola Nacional de Botânica Tropical.

A nova presidenta enfatizou a importância do diálogo com os servidores para alcançar os resultados esperados e falou de sua satisfação em se tornar "a primeira presidenta do Jardim Botânico, no mandato da primeira mulher presidenta do Brasil e de uma ministra do Meio Ambiente". Samyra Crespo tem 60 anos e há 27 anos trabalha na área social e ambiental, combinando em sua trajetória a carreira científica com a militância ambiental e o engajamento em políticas públicas.

Currículo – Samyra Crespo nasceu em Belo Horizonte (MG) e cresceu em São Paulo, transferindo-se para o Rio de Janeiro em 1985. É doutora em História Social da Educação pela Universidade de São Paulo (1989) e pesquisadora titular do MCTI, tendo atuado por vários anos na área de História da Ciência Brasileira, no Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST). Em 1992 começou a desenvolver o estudo “O que os Brasileiros pensam do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável”, que se tornou referência na área de pesquisa de opinião e já conta com 5 edições, sempre em colaboração ou patrocínio com o Ministério do Meio Ambiente.

De 1993 a 1998, Samyra organizou no ISER o primeiro curso de pós-graduação lato-sensu para formar profissionais de ONGs e movimentos sociais com temática socioambiental. Também liderou durante dez anos inúmeras campanhas de promoção da Agenda 21 Brasileira e local, tendo criado a Comissão da Agenda 21 do Rio de Janeiro, o primeiro estado e prefeitura a criar por lei os Programas da Agenda 21. Deu aulas em várias universidades e foi professora visitante da Columbia University (ILAIS-International Affairs) em 2000, onde lecionou tópicos sobre a implantação das políticas ambientais no Brasil, e foi agraciada com a cátedra da Thinker Foundation. Tem livros e artigos publicados nas áreas de desenvolvimento sustentável, história do ambientalismo e Agenda 21. Antes de assumir o cargo de titular da Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental (SAIC/MMA) em 2008, atuou em conselhos de organizações ambientalistas como o Greenpeace Brasil, Instituto Akatu para o Consumo Consciente e ABDL (Associação Brasileira para Lideranças).

Entre os prêmios que Samyra Crespo recebeu estão o de Cidadã do Rio de Janeiro, pela Câmara de Vereadores (2007), pelo conjunto das contribuições na área ambiental; o de “Mulher do Ano”, pelo Conselho Brasileiro da Mulher (2004), como destaque na área das ciências sociais, e mais recentemente o prêmio Business Professional Women – Rio 2011, na categoria “meio ambiente”. Desde 2011, Samyra está envolvida com a Rede de Mulheres Brasileiras pela Sustentabilidade, iniciativa do MMA que reúne mais de 400 executivas e tomadores de decisão dos setores público e privado para implementar uma agenda de gênero e sustentabilidade no país.

 

 

 

 

 

 

 

voltar à primeira página