Estudo alerta para a situação do recifes coralíneos no Brasil
12/8/2010

PalestraEm palestra na ENBT, em 11 de agosto, pesquisador Gilberto Amado Filho mostrou que a acidificação dos oceanos causada pelas emissões de CO2 está degradando um dos berços da vida marinha.

As formações coralíneas do Atlântico Sul, na costa do Brasil, estão entre as mais importantes do mundo. Apesar disso, paira sobre elas a ameaça de destruição devido à acidificação dos oceanos - um dos efeitos da emissão de CO2 na atmosfera. Os recifes coralíneos baseados em rodolitos são o principal tema de estudo do pesquisador Gilberto Amado Filho, diretor da Escola Nacional de Botânica Tropical do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, que fez palestra sobre o assunto na quarta-feira, 11 de agosto, no Auditório da Escola.

Durante muito tempo, os recifes coralíneos foram considerados meras reservas minerais de cálcio, mas os estudos mostram que, na verdade, são formações vivas - e que abrigam imensa biodiversidade. "Trata-se do ecossistema mais ameaçado do mundo", apontou o pesquisador, lembrando que a destruição desses recifes pode afetar a sobrevivência das populações nas áreas costeiras.

Descobriu-se que recifes coralíneos crescem em média 1mm ao ano. Com base nesse dado, estima-se que as principais formações na plataforma continental brasileira, como Abrolhos, tenham aproximadamente 20 mil anos. Porém, a maior acidez da água dissolve o carbonato de cálcio de que são constituídas. Se nada for feito, as previsões são de que a redução da calcificação chegue a 40% em 2100 e a 90% em 2300. O desequilíbrio entre produção e dissolução do carbonato, causado pelo aumento das emissões de CO2, reduz a capacidade dos oceanos de absorver CO2, agravando o aquecimento global.

Entre os desafios para o melhor conhecimento e proteção dos recifes coralíneos brasileiros estão, de acordo com Amado, a dificuldade de se obter informações em áreas de exploração petrolífera e a necessidade urgente de formar e manter no país pesquisadores qualificados para trabalhar nesse campo de estudo.

 

 

 

 

 

volta à primeira página