XVII Seminário PIBIC começa com palestra sobre ações da Faperj
16/11/2009

O diretor da ENBT, Gilberto Amado, dá as boas-vindas aos participantes do SeminárioBolsistas e demais presentes puderam se informar melhor sobre os diferentes editais e programas da agência de fomento do Estado do Rio. O encontro contará, ao todo, com 30 apresentações de trabalhos de iniciação científica desenvolvidos no JBRJ.

Teve início, na manhã desta segunda-feira, 16 de novembro, o XVII Seminário PIBIC – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, na Escola Nacional de Botânica Tropical (ENBT). O atual coordenador do PIBIC e diretor da Escola, Gilberto Amado, ressaltou a importância do programa na formação de pesquisadores que hoje atuam em diversas instituições, como universidades e o próprio JBRJ.

Homenagens – Gilberto lembrou que, na abertura deste seminário, seriam homenageadas as pesquisadoras Maria Conceição Valente e Nilda Marquete Ferreira da Silva, que , juntamente com Elsie Guimarães, foram responsáveis pela introdução do PIBIC na instituição. Elas não puderam comparecer, porém, deviso a problemas de saúde. O atual coordenador elogiou também o trabalho de seu antecessor, André Mantovani, que conseguiu aumentar a cota de bolsistas do JBRJ de 30 para 33.

Renato Pereira, da UFF e Faperj, explica as ações da fundação de fomento à pesquisaApoio a C&T – Na palestra de abertura do Seminário, o professor Renato C. Pereira , do Instituto de Biologia da UFF e integrante da Faperj, falou sobre “Desenvolvimento do apoio a Ciência e Tecnologia no Estado do Rio de Janeiro”. Ele abordou as diversas ações da Faperj, como auxílios, bolsas e diferentes editais, próprios ou em parcerias com outras instituições e agências de fomento.

Repasse – Renato explicou como funciona cada tipo de ação, quais as que têm tido maior ou menor procura, em que áreas de conhecimento e por quais instituições, e também como são feitas as seleções e avaliações. Ele destacou o fato de o Estado finalmente estar cumprindo o repasse de 2% previsto em lei para o fomento de C&T, trazendo crescimento significativo dos investimentos em pesquisa, que se faz sentir no maior número de projetos contemplados pelas diferentes ações.

Novidades – Entre as várias ações da Faperj, o palestrante chamou a atenção para os novos editais, como o Pensa Rio, lançado agora em novembro, e o Proex, assim como para os programas Cientistas do Nosso Estado, que permite a continuidade das atividades de pesquisa com recursos garantidos por até três anos, e o Jovens Cientistas do Nosso Estado. Falou também sobre a Rede Rio, à qual o JBRJ está conectado por intermédio da PUC-Rio.

Metas – Renato apresentou ainda as metas da Faperj, entre as quais estão a recuperação da infraestrutura de pesquisa nas instituições de ensino superior e o estímulo à parceria entre as fundações de amparo à pesquisa. Nesta última se insere uma ação voltada ao estudo de mudanças climáticas globais, que deve envolver instituições dos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo.

A bolsista Ana Corrêa faz sua apresentação sobre Gentianaceae JussTrabalhos – Neste primeiro dia do XVII Seminário PIBIC, 17 bolsistas fizeram apresentações de seus trabalhos, diante de uma audiência formada por colegas, pesquisadores e professores. Estiveram presentes à abertura do encontro a diretora de Pesquisa do JBRJ, Marli Pires Morim, a professora Cássia M. Sakuragui, do Instituto de Biologia da UFRJ e a pesquisadora Alda Heizer, da ENBT/JBRJ. Cássia e Alda farão as palestras de abertura do segundo e último dia do evento, nesta terça-feira, às 9h e às 9h30, respectivamente.

 

 

 

 

 

volta à primeira página