Aniversário de Tom Jobim tem shows e exposição no Espaço Tom Jobim
23/01/2007

Capitaneado por Paulo Jobim, responsável pelo acervo do pai, o Espaço Tom Jobim comanda as comemorações em torno dos 80 anos do maestro (1927- 1994) iniciando em 25 de Janeiro , data do aniversário de Tom, uma série com 7 shows. A festa começa às 19h, com a exposição “Toda a minha obra é inspirada na Mata Atlântica”, onde filmes, vídeos e fotografias inéditas revelam a beleza e importância da floresta que motivava o compositor. As imagens são do cineasta Sergio Bernardes, do acervo pessoal de Tom e do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

A série de shows abre com um encontro Caymmi-Jobim: Nana Caymmi convida o irmão Danilo e Paulo Jobim em show único, às 20h. A amizade que une as famílias ganha caráter permanente em 2007, quando o acervo de Dorival Caymmi, que começa a ser digitalizado em março, passará para a recém inaugurada Casa do Acervo do Espaço Tom Jobim, que já abriga o de Tom.

As águas de março fecham o “Verão do Tom”. A série termina, não por acaso, no dia 22 de março, Dia Mundial das Águas, com Milton Nascimento e o Trio Jobim . Na data, um seminário internacional discutirá essa questão fundamental do meio ambiente hoje e um dos convidados confirmados é Danielle Miterrand.

Nos dias 01, 08, 15, 22 de fevereiro e 01, 08, 15 de março, prosseguem os shows, para os quais estão sendo convidados grandes nomes da MPB. Já confirmados, estão João Donato & Paulo Moura, Mario Adnet & Jobim Jazz, Teresa Cristina & Cordão Do Boitatá, Arnaldo Antunes.

O patrocínio geral dos 80 anos de Tom Jobim é da Companhia Vale do Rio Doce, que inicia uma parceria com o Espaço Tom Jobim com um calendário que privilegia tanto a cultura como o meio ambiente. Como gostaria Tom.

Sobre o Espaço Tom Jobim

Paulo Jobim, primeiro filho de Tom, o ambientalista João Augusto Fortes e a diretora de arte Biza Vianna estão conseguindo, conforme queria o maestro, a associação entre a música e as matas: o Espaço Tom Jobim tem como proposta somar cultura e meio ambiente e encontrou no Jardim Botânico do Rio de Janeiro seu melhor parceiro. Era lá que Tom costumava compor; era o Jardim Botânico o seu quintal.

De um lado, o Centro de Produtos Sustentáveis, cuja reforma já começou e reabre em março. Do outro, o Teatro de lona que ganha agora sua construção e forma definitivas, com 350 lugares, a ser inaugurado em julho de 2007. Na direita, a Sala Multiuso promove há 7 meses shows, exposições e cursos.

Na lateral esquerda, a Casa do Acervo foi inaugurada no dia 21 de dezembro, oferecendo ao público o acesso virtual à vida e obra de Tom Jobim.

Sobre a Casa do Acervo

O acervo de Tom é imenso e o processo de digitalização foi conduzido pelo próprio Paulo Jobim. São 27 álbuns de carreira, mais de três mil fotos, 800 manuscritos, 700 partituras, 90 vídeos com gravações e entrevistas, centenas de desenhos e anotações. Partituras jamais gravadas, detalhes do processo de composição, fitas cassetes que Tom costumava deixa rolar enquanto conversava e dedilhava o piano. O manancial é grande e ainda há mais por descobrir, segundo Paulo Jobim. Quatro computadores e um telão estão à disposição do público para pesquisas.

Na casa, Tom não ficará sozinho: o acervo de Lucio Costa, já digitalizado, irá para lá, assim como o de Dorival Caymmi. Já o acervo na área de meio ambiente começa com os vídeos do cinesta Sergio Bernardes, que possui a maior coleção de imagens sobre a Mata Atlântica e sobre o bioma brasileiro.

“Toda a minha obra é inspirada na Mata Atlântica”


Ocupando simultaneamente vários ambientes do Espaço Tom Jobim, a exposição “Toda a minha obra é inspirada na Mata Atlântica” aponta aspectos desconhecidos para a maioria dos cariocas. São fotos de Ana Lontra Jobim, mulher de Tom; slides em projeção de Zeka Araujo; gravações em vídeo do compositor onde ele expõe suas idéias sobre o tema; ricos filmes de Sergio Bernardes e imagens cedidas pelo Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro. “A Visão do Paraíso”, filme de Flavio Tambellini com depoimentos do maestro Tom Jobim, completa a programação gratuita e será exibido em sessões contínuas.

Sobre a Mata Atlântica

Foram 14 anos de negociações no Congresso Nacional, mas em fins de 2006, a Lei da Mata Atlântica finalmente foi aprovada.

Considerada Patrimônio Nacional pela Constituição Federal, a Mata Atlântica é um dos biomas mais ricos do mundo em biodiversidade. De acordo com estudos recentes, ela pode possuir a maior diversidade de árvores do planeta e nela são encontradas espécies que não ocorrem em nenhum outro lugar.

A nova lei pretende conter a destruição da mata que, quando o Brasil foi descoberto, em 1500, cobria 15% do território nacional. Hoje, ela representa apenas 4% do território.

Das 627 espécies ameaçadas de extinção, segundo levantamento de 2003, do Ibama, 370 espécies pertenciam à Mata Atlântica.

SHOWS
25/01- NANA CAYMMI - participação DANILO CAYMMI e PAULO JOBIM
01/02- MARIO ADNET & Jobim Jazz
08/02- a definir
15/02- TERESA CRISTINA & CORDÃO DO BOITATA
22/02- a definir
08/03- ARNALDO ANTUNES
15/03- JOÃO DONATO & PAULO MOURA
22/03- MILTON NASCIMENTO – participação Trio Jobim

Serviço:
Espaço Tom Jobim – Cultura e Meio Ambiente
Série de 7 shows com grandes nomes, em homenagem ao compositor
De 25 de janeiro a 22 de março, sempre às quintas feiras, 20h.
R$ 30,00 (estudantes e idosos pagam meia)
Capacidade: 300 lugares Censura: livre
End: Rua Jardim Botânico, 1008 (dentro do Jardim Botânico do RJ - entrada pelo estacionamento do local)
Tel: 2274-7012

Convite Exposição Tom Jobim

 

 

 

 

 

volta à primeira página