CNCFlora/JBRJ é reconhecido como Autoridade em Listas Vermelhas pela IUCN
28/02/2012

A União Internacional para Conservação da Natureza (International Union for Conservation of Nature) – IUCN, a maior e mais antiga organização de defesa do meio ambiente no mundo, reconheceu, neste início de 2012, o Centro Nacional de Conservação da Flora do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (CNCFlora/JBRJ) como Autoridade em Listas Vermelhas (Red List Authority - RLA) de Plantas Brasileiras. As listas vermelhas são as listagens de espécies ameaçadas de extinção.

O estabelecimento da RLA de Plantas Brasileiras foi aprovado formalmente pelo comitê de direcionamento da Comissão de Sobrevivência de Espécies (SSC) da IUCN, da qual o CNCFlora/JBRJ passa agora a fazer parte. O coordenador do CNCFlora, pesquisador Dr. Gustavo Martinelli, foi nomeado como representante oficial (chair) e o MSc. Miguel de Moraes como executor (Programme Officer) do Programa de Conservação de Espécies da IUCN no Brasil. Os dois embarcaram para Abu Dhabi em 20 de fevereiro, para serem oficialmente apresentados aos demais integrantes do SSC/IUCN no II Encontro de Grupos de Autoridades em Listas Vermelhas da organização.

A recém estabelecida RLA de Plantas Brasileiras conta ainda com uma equipe de avaliadores de risco de extinção de plantas, formada por 14 profissionais que assumiram o desafio de reavaliar, até maio de 2012, aproximadamente 5 mil espécies da flora do Brasil listadas anteriormente como ameaçadas de extinção.

Segundo Gustavo Martinelli, a aprovação do CNCFlora como Autoridade em Listas Vermelhas é um avanço para a conservação de espécies da flora no Brasil. “Não só poderemos produzir uma lista embasada cientificamente, como o país será capaz de subsidiar tomadores de decisão e nortear esforços de conservação nacionais para as espécies ameaçadas da flora”. Já Miguel de Moraes complementa que o desafio está apenas começando e que para saber o real estado de conservação da flora do Brasil, será preciso avaliar todas as espécies de nossa flora – que hoje chega ao número de 42.859 espécies reconhecidas pela ciência.

 

 

 

 

 

 

voltar à primeira página