Jardim Botânico assina Pacto pela Restauração da Mata Atlântica
25/5/2009

EventoAdesão foi formalizada na comemoração pelo Dia Nacional da Mata Atlântica, 27 de maio, no Espaço Tom Jobim.

O Jardim Botânico recebeu a secretária de Estado de Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Marilene Ramos, o  presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e outros representantes governamentais e de organizações não-governamentais na comemoração pelo Dia Nacional da Mata Atlântica, 27 de maio, no Espaço Tom Jobim. No evento, o JBRJ e outras dez entidades formalizaram sua adesão ao Pacto pela Restauração da Mata Atlântica. Também foi lançado o livro Estratégias e ações para a conservação da biodiversidade no Estado do Rio de Janeiro, organizado pela pesquisadora Helena Bergallo, do Instituto Biomas/UERJ.

O presidente da Rede Brasileira de Reservas da Biosfera, Clayton Lino, fez uma apresentação sobre o Pacto –  uma rede autônoma que articula governos, ONGs, empresas privadas e centros de pesquisa para alcançar a meta de restaurar 15 milhões de hectares da Mata Atlântica até 2050. Lino também comemorou a recente aprovação da Fase 6 da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica pela Unesco. Com isso, a reserva passa agora a ter 78 milhões de hectares, incluindo área marinha.

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro foi representado no evento pelo diretor de Pesquisa, Fábio Scarano. Ele falou sobre as novas atribuições que a instituição recebeu do Ministério do Meio Ambiente, especialmente a coordenação da lista de espécies da flora nativa do Brasil, da lista de espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção e o monitoramento da biodiversidade da Mata Atlântica, em parceria com a UFRJ.

Também fizeram parte da mesa o diretor do Instituto Conservação Internacional, Luís Paulo de Souza Pinto, o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, Christino Áureo  da Silva, o diretor científico da Faperj, Jerson Lima Silva e a pesquisadora Helena Bergallo. Além de lançar o livro de que foi organizadora, Bergallo entregou à secretária Marilene Ramos uma lista com 226 espécies invasoras e exóticas que representam ameaça à biodiversidade nativa do Estado do Rio.

 

 

 

 

 

volta à primeira página