Três exposições mostram no Espaço Tom Jobim a transformação do lixo
30/10/2006

Em pleno Jardim Botânico, três exposições simultâneas abrem no dia 4 de novembro, sábado, às 17h, no Espaço Tom Jobim. Todas refletem sobre a transformação do lixo.

O fotógrafo Marcos Prado, diretor do cult-filme “Estamira”, há 9 semanas em cartaz, mostra a realidade em preto e branco em “Jardim Gramacho”. As fotos foram produzidas durante o período da filmagem no local-tema do filme. São 28 imagens impressionantes, ampliadas em painéis de 1,20 x 1,20.

O músico Decio Rocha traz “Brinquedos e instrumentos reciclados” feitos a partir de materiais que ele recolhe nas ruas ou no lixão de Teresópolis, cidade que escolheu para morar. Compositor e baixista, há 15 anos ele constrói seus próprios intrumentos, utilizando material reciclado e resultando em peças extremamente originais, como a Metrola, o Baima ou o Rochimbau.

Já o artista plástico Sergio Cezar apresenta “Caminhos do Papelão” maquetes – esculturas feitas de papelão e sucata. Num estilo primitivista, ele retrata o cotidiano das favelas e dos casarios do Rio Antigo.

As três exposições inauguram no dia 4, às 17h e vão até o dia 10 de novembro, nas salas em anexo ao teatro.

 

 

Serviço:

Exposições – abertura dia 4 de novembro, 17h. De terça a domingo, de 10h às 17h. Até o dia 10 de novembro. Entrada franca para a exposição

“Jardim Gramacho” - Marcos Prado (fotografias), “Brinquedos e Instrumentos Reciclados” - Decio Rocha; “Caminhos do Papelão” - Sergio Cézar (maquetes de papelão e sucata)

Espaço Tom Jobim – Cultura e Meio Ambiente
End: Rua Jardim Botânico, 1008 (A entrada é pelo estacionamento do Jardim Botânico do Rio de Janeiro) Tel: 2274-7012

 

 

 

 

 

volta à primeira página