Quebradeiras de coco do Maranhão e índios Ikpeng na retrospectiva Cine Gaia
30/10/2009

A Retrospectiva I Cine Gaia continua neste sábado, 31 de outubro, com filmes voltados para a questão ambiental.

A série de reprises apresenta uma seleção de produções que participaram do I Festival de Cinema Ambiental do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, I Cine Gaia, em 2008. Neste sábado, a partir das 15h, serão reapresentados o curta-metragem brasileiro Roça Crua e o longa, também brasileiro, Pirininop, o meu primeiro contato. As exibições gratuitas acontecem na Sala Multimídia do Centro de Visitantes, localizado na Rua Jardim Botânico, 1008.

Programação – Sábado, 31/10/2009

15h - “Roça Crua”, de May Waddington, (Brasil, 2005), 30 minutos.
O movimento social e político das Quebradeiras de Côco do Maranhão cura as
feridas da terra, destruída por décadas de atividade pecuária irracional.
Implementando programas de roças orgânicas, sem veneno nem queimadas,
demonstram como as famílias podem tirar seu sustento da terra e protegê-la para as gerações futuras.

16h – “Pirinop, o meu primeiro contato”, de Mari Corrêa e Karané Ikpeng, (Brasil, 2007), 83 minutos.
Em 1964, os Ikpeng tiveram seu primeiro contato com o homem branco. Ameaçados
pelo garimpo, foram transferidos para o Parque Indígena do Xingu. O filme
mostra o que restou deste encontro. De um lado, a memória, falhada, intensa,
reinventada e a narrativa oral. De outro, o presente, a aldeia, os gestos
cotidianos e o desejo de retorno.

 

 

 

 

 

volta à primeira página