Exposição Glaziou e os Jardins Sinuosos no Museu do Meio Ambiente
30/10/2009

glaziouA exposição, aberta ao público a partir de sexta-feira, 6/11, reúne arte, ciência e história numa oportunidade única para conhecer a trajetória do paisagista e botânico francês Auguste Glaziou, seus mais importantes projetos de parques públicos e jardins privados em nosso país e a importância de suas descobertas botânicas.

Como parte das comemorações do Ano da França no Brasil, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, a Dantes Editora e a França.Br 2009 realizam a exposição Glaziou e os Jardins Sinuosos, aberta ao público a partir de sexta-feira, 6 de novembro de 2009 até 15 de janeiro de 2010, no Museu do Meio Ambiente (MuMA) – Jardim Botânico. Ainda no dia 6, às 10h30, no MuMA, o diretor do Paço Imperial, Lauro Cavalcanti, dará a palestra “De Glaziou a Burle Marx”.

O paisagista e botânico francês Auguste Glaziou (1833-1906) viveu no Brasil de 1858 a 1897, sendo responsável, no Rio de Janeiro, pela reformulação do Passeio Público e pelos projetos dos jardins da Quinta da Boa Vista e do Campo de Santana, além do jardim do palácio de verão de Petrópolis e de parques públicos e particulares em várias cidades do país. Seu trabalho revolucionou o paisagismo no país, introduzindo o uso de árvores de flores e, principalmente, de espécies nativas, muitas das quais ele próprio descobriu e trouxe para o Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

As projeções digitais serão um dos destaques da exposição no MuMA. Em uma das salas, o visitante poderá fazer um passeio virtual pela Quinta da Boa Vista, Campo de Sant'Ana e Passeio Público atuais, por meio de filmagens projetadas em 180º , em dimensões naturais, que enfocam aspectos da obra de Glaziou. Uma outra projeção, em 3D, mostrará a beleza do Passeio Público do início do século XX.

Os visitantes também poderão ver, entre outras coisas, a planta baixa original do projeto de Glaziou para a Quinta da Boa Vista, uma maquete construída pelo artista Flávio Papi a partir do projeto do Jardim Imperial de Petrópolis, que não chegou a ser realizado, e fotos originais feitas por Marc Ferrez, Klumb, Insley Pacheco e outros fotógrafos de fins do século XIX.

Também serão expostos originais da correspondência entre Glaziou e o naturalista Von Martius (1794-1868), a lista original manuscrita das plantas que o francês catalogou no Brasil, exsicatas (registros de espécies vegetais) originais de herbários brasileiros e projeções digitais de exsicatas que estão no Herbário de Paris, além de livros raros do acervo do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, inclusive da Coleção Teresa Cristina, de botânica.

Exposição Glaziou e os jardins sinuosos
Visitação: de 6 de novembro de 2009 a 15 de janeiro de 2010
Horário: de terça-feira a domingo, das 10h às 17h
Museu do Meio Ambiente – MuMA – Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Rua Jardim Botânico, 1008
Tel.: 3204-2505

Palestra “De Glaziou a Burle Marx”
Com Lauro Cavalcanti, arquiteto e doutor em Antropologia Social pela UFRJ, professor da Esdi- Escola Superior de Desenho Industrial da UERJ e atual diretor do Paço Imperial.
Dia 6 de novembro, às 10h30 no Museu do Meio Ambiente

Uma das projeções que estará na exposição


 

 

 

 

 

volta à primeira página